Google Chrome prepara suporte a RSS para seguir sites

Google Chrome prepara suporte a RSS para seguir sites

Destaque Google

Feeds RSS podem até não ser populares como eram em um passado não muito distante, mas não estão mortos. Talvez seja por isso que o Google vai testar o suporte nativo a RSS no Chrome. O recurso será liberado em breve na versão Canary (experimental) do navegador para Android.

Quem se animou com a notícia precisa ter em mente que, pelo menos na fase inicial, o leitor de feeds RSS do Chrome não vai herdar a interface amigável que encontrávamos no finado Google Reader — provavelmente, o agregador de RSS mais popular que existiu.

A novidade está mais para uma ferramenta que exibe chamadas em ordem cronológica para as atualizações obtidas dos feeds. Aparentemente, o usuário não poderá acessar listas de feeds separadas por site, por exemplo. Além disso, parece não ser possível agrupá-los em categorias.

Por outro lado, incluir sites à lista de feeds vai ser uma tarefa fácil. O Chrome detectará se o site tem RSS e exibirá um botão Follow (Seguir) no menu ao lado da barra de endereços para que o usuário possa adicioná-lo rapidamente.

É cedo para afirmar que o suporte nativo a RSS chegará às versões finais do Chrome. Por ora, o Google testará o recurso apenas na versão Canary do navegador para Android, como já informado, junto a alguns usuários nos Estados Unidos.

Mas, sim, esse pode ser um sinal de que o Google voltou a ter interesse por feeds. Quando a companhia descontinuou o Google Reader, deu a entender que o RSS tinha se tornado obsoleto e que os usuários migrariam para outros meios para consumir conteúdo.

De fato, redes sociais e serviços como Google News passaram a ser canais importantes para consumo de notícias e afins. Mesmo assim, muitos sites mantêm feeds até hoje.

Outro sinal: no comunicado sobre o assunto, o Google informa que, à medida que o experimento avançar, fornecerá orientações a editores web sobre RSS, provavelmente para garantir que a integração de seus feeds com o Chrome seja funcional.

Um sinal extra: em abril, o Google comunicou editores de sites que o FeedBurner (ferramenta para geração e gerenciamento de feeds) vai ser migrado para uma infraestrutura mais estável e moderna.

O anúncio causou surpresa, pois o FeedBurner existe desde 2004 e nunca passou por uma grande mudança. Parecia que o Google tinha abandonado a ferramenta.