Google diz que Android 10 é a versão que teve adoção mais rápida

Das críticas que o Google recebe com relação ao Android, a fragmentação de versões do sistema operacional é uma das mais recorrentes. Mas, com o lançamento do Android 10, a situação melhorou consideravelmente: o Google afirma que esta é a versão que teve a adoção em massa mais rápida em toda a história da plataforma.

O Android 10 foi anunciado oficialmente em setembro de 2019. Cinco meses após o lançamento, essa versão já estava presente em cerca de 100 milhões de dispositivos, número que a fez ter adoção 28% mais rápida que a do Android 9 Pie — até então, a versão que tinha levado menos tempo para se tornar popular.

Para o Google, três fatores contribuíram para a rápida aceitação do Android 10: o Project Treble, o Project Mainline e as GSIs.

Anunciado em 2017, o Project Treble é um programa que permite ao fabricante disponibilizar atualizações de sistema sem se preocupar com drivers e outros aspectos relacionados ao hardware — este trabalho é conduzido por companhias como Qualcomm e MediaTek, o que permite que updates sejam liberados mais rapidamente.

Adoção do Android

Por sua vez, o Project Mainline surgiu junto ao Android 10 e possibilita que atualizações de segurança e privacidade sejam lançadas por meio da Google Play Store. Essa abordagem não contribui diretamente com a adoção do Android 10, mas tem sua participação nisso por tornar a versão atraente por conta do consequente reforço de segurança.

Finalmente, as GSIs (sigla em inglês para Imagem Genérica de Sistema) correspondem a versões puras do Android (sem nenhum tipo de modificação) vindas diretamente do AOSP (Android Open Source Project).

Graças a elas, fabricantes podem testar mais facilmente o Android, tanto para lançamento de celulares quanto para atualização do sistema operacional, afinal, as GSIs são desenvolvidas para funcionar com qualquer dispositivo compatível com o Project Treble.

Android 10

Outro fator que pode ter contribuído para a rápida penetração do Android 10 no mercado é a exigência dessa versão em celulares lançados a partir de 31 de janeiro de 2020.

Provavelmente, a fragmentação do Android nunca deixará de existir e o Google sabe disso. Os esforços da companhia se concentram, portanto, em acelerar ao máximo a aceitação da versão atual da plataforma. Não por acaso, a companhia já deixou claro que pretende fazer o Android 11 ter adoção ainda mais rápida que a do Android 10.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *